Sim, por favor
Não, obrigado

Festas de Nossa Senhora

donate Books CDs HOME updates search contact

Nossa Senhora de Lourdes - 11 de Fevereiro

Prof. Plinio Corrêa de Oliveira

A história de Lourdes, onde Nossa Senhora apareceu a Santa Bernadete Soubirous, é rica em lições para nós. Uma lição é sobre sofrimento. Vemos em Lourdes duas atitudes da Divina Providência em relação ao sofrimento humano que podem parecer contraditórias.

Por um lado, o que mais chama a atenção em Lourdes é que Nossa Senhora tem pena dos homens, ouve os seus pedidos e faz milagres para os libertar das dores e das doenças que sofrem. Além disso, Nossa Senhora tem pena das almas, e para provar que a Fé Católica é a única religião verdadeira, ela frequentemente opera milagres espirituais de conversões. Fazendo milagres físicos e espirituais, ela mostra que é nossa Mãe que nos ama e quer nos aliviar do sofrimento aqui e na eternidade.

A photograph of the Grotto of Lourdes

Em Lourdes, Nossa Senhora faz muitos milagres de corpo e alma para o benefício das almas

Por outro lado, vemos outra coisa em Lourdes. Muitos doentes vão a Lourdes e regressam sem cura. Por que Nossa Senhora dá cura a alguns e não a outros? Na verdade, há uma lição importante para nós nas curas que ela não dá, e talvez o maior milagre de Lourdes se encontre precisamente nisso.

Para a grande maioria das pessoas, o sofrimento é indispensável para sua própria santificação. Portanto, as doenças e problemas que sofrem são necessários. É por meio de doenças e tribulações espirituais que eles se santificarão. Quem não entende o papel do sofrimento e da tristeza em trazer o desapego, a conversão e o amor a Deus não entende o que realmente é a vida espiritual.

São Francisco de Sales costumava afirmar que o sofrimento é o oitavo sacramento. É tão indispensável que ele considerou que ninguém poderia ser salvo sem ele. O Cardeal Pedro Segura, Arcebispo de Sevilha, que era um admirável Católico Espanhol, uma vez me contou sobre uma conversa que teve com o Papa Pio XI.

Pio XI gabou-se de que nunca tinha adoecido. O Cardeal disse-lhe: “Portanto, Vossa Santidade não tem o sinal da alma eleita.” O Papa ficou surpreso, mas o Cardeal Segura foi decidido: “Não há alma predestinada que não sofra profundamente de doenças pelo menos uma vez na vida. Se Vossa Santidade nunca teve nenhum problema de saúde, então não tem o sinal dos eleitos.” Alguns dias depois, Pio XI teve um forte ataque cardíaco. De sua cama escreveu uma mensagem ao Cardeal Segura, dizendo: “Eminência, agora também tenho o sinal dos eleitos.”

Concordo com o Cardeal Segura que o sofrimento - seja físico ou moral - é o sinal da alma eleita.

Pois bem, Nossa Senhora trabalharia contra a salvação das almas se ela curasse todas as doenças. Às vezes ela o faz, porque é para o bem final dessa pessoa ser aliviada do sofrimento. Mas normalmente não é oportuno. Por isso Nossa Senhora, que é a Mãe da Misericórdia, permite o sofrimento para algumas almas, porque é indispensável.

Mas Nossa Senhora também faz outra coisa que é muito bonita. Aos enfermos que ela não cura, dá uma conformidade profunda à vontade de Deus e uma aceitação dos seus sofrimentos. Nunca ouvi falar de uma pessoa que tivesse estado em Lourdes e não fosse curada, que se zangasse e se revoltasse contra Deus. Pelo contrário, as pessoas que lá vão regressam com enorme resignação, felizes por terem estado em Lourdes e ver outras pessoas serem curadas.

A statue of Our Lady of Lourdes

Nossa Senhora na gruta de Lourdes

Além disso, são numerosos os casos de pessoas que percorrem longas distâncias, chegam a Lourdes e testemunham outras pessoas que estão sofrendo muito mais do que elas e precisam de mais cura. Vendo isso, eles pedem a Nossa Senhora que cure essas pessoas em vez de eles próprios. Ou seja, uma pessoa aceita voluntariamente seu sofrimento em benefício de outra. Na minha opinião, isso também é um milagre. É a renúncia do próprio amor a si mesmo pelo amor a Deus e ao próximo. Renunciar ao egoísmo humano talvez seja um milagre maior do que as curas de doenças e as conversões.

Em Lourdes, existe um Convento de Irmãs Carmelitas contemplativas que oferecem suas vidas para ganhar graças pelas curas de corpo e alma para os peregrinos que ali vão. Essas freiras nunca pedem cura para si mesmas e aceitam todas as doenças em troca da cura de outras. Elas sofrem enormemente, e às vezes morrem prematuramente, com o único propósito de suas vidas fazer o bem aos outros.

Quando olhamos ao nosso redor para outros homens, para a natureza humana corrompida pelo pecado original, entendemos como esse tipo de abnegação conflita violentamente com os interesses humanos normais. Esse tipo de sacrifício causa horror ao nosso egoísmo humano. Então pensamos sobre isso, percebemos como a própria existência daquelas freiras e peregrinos que aceitam o sofrimento pelos outros é, em si, um milagre. Um milagre maior do que as curas que se fazem em Lourdes. É esse tipo de milagre de generosidade que ganha o Céu para as pessoas que são curadas.

O objetivo principal do amor de Nossa Senhora, que zela por nós de corpo e alma, é conduzir-nos a Deus e ao Céu. Isso é o que ela mais deseja para nós.

A maior lição de Lourdes, então, é a aceitação do sofrimento, seja uma doença física ou uma tristeza moral, se for necessário para a nossa salvação. É muito difícil carregar a cruz do sofrimento com resignação. Sim, realmente é. Mas, em tais casos, temos o exemplo divino de Nosso Senhor no Horto das Oliveiras, que orou: “Pai, se queres, tira de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua” (Lucas 22: 42). Esta é a posição que devemos ter diante de nossos sofrimentos particulares. Se não for possível retirar o cálice, "não a minha vontade, mas a tua, seja feita." Uma graça virá para nos consolar, como o Anjo que veio consolar e dar força a Nosso Senhor.

Devemos ter uma compreensão do sofrimento, coragem, resolução e energia necessárias para enfrentá-lo, e até mesmo a alegria de recebê-lo. Devemos lembrar que sofrer é um sinal dos eleitos.

Nossa Senhora nos ajudará a enfrentar nossos sofrimentos, assim como ajuda aqueles que pedem sua ajuda em Lourdes.


Tradition in Action



j000 SD Dr. Plinio.gif - 9040 Bytes
Prof. Plinio Corrêa de Oliveira
A secção Santo do Dia apresenta trechos escolhidos das vidas dos santos baseada em comentários feitos pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira. Seguindo o exemplo de São João Bosco que costumava fazer comentários semelhantes para os meninos de seu Oratório, cada noite Prof. Plinio costumava fazer um breve comentário sobre a vida dos santos em uma reunião para os jovens para encorajá-los na prática da virtude e amor à Igreja Católica. TIA do Brasil pensa que seus leitores poderiam se beneficiar desses valiosos comentários.

Os textos das fichas bibliográficas e dos comentários vêm de notas pessoais tomadas por Atila S. Guimarães de 1964 até 1995. Uma vez que a fonte é um caderno de notas, é possível que por vezes os dados bibliográficos transcritos aqui não sigam rigorosamente o texto original lido pelo Prof. Plinio. Os comentários foram também resumidos e adaptados aos leitores do website de TIA do Brasil.



Santo do Dia  |  Início  |  Livros  |  CDs  |  Procurar  |  Contacte-nos  |  Doar

Tradition in Action
© 2018-   Tradition in Action do Brasil    Todos os Direitos Reservados